Entrevista com Lucia Mara Formighieri: jornalista, blogueira e deficiente visual

Olá meus amigos. Esta é uma semana muito importante para o blog, porque temos a honra de publicar a entrevista que fizemos com uma jornalista blogueira muito especial. Mesmo sendo deficiente visual, ela está encontrando meios para fazer chegar às pessoas a sua voz.

Quem é ela?

Lucia Mara Formighieri do blog literagindo.

E o mais legal é que este é um trabalho em parceria. Sim,participaram desta entrevista enviando perguntas para Lucia Mara, algumas escritoras, que acho que vocês vão gostar.

 

Leia mais:

Conheça os livros da autora do Blog: Meirilene Reis

Elena Ferrante – a desconhecida mais lida do mundo

A Espiã pelo Olhar do Mago das Letras – Paulo Coelho

Protagonismo Feminino Nos Livros De kristin Hannah

Como eu era antes de você: Você vai rir, chorar e certamente se apaixonar

Vamos à entrevista?

Blog café com estórias

Oi Lucia, é um prazer termos você aqui no blog café com estórias. Muito obrigada pela sua disponibilidade e generosidade em doar um pouco de seu tempo para nos atender.

Por favor, se apresente ao nosso leitor.

Lucia Mara Formighieri 

Oi. Eu sou Lúcia Mara Formighieri, sou deficiente visual, ou cega total, desde bebê. Nasci prematura. Sou jornalista, graduada a catorze anos.

Eu sempre fui uma leitora voraz, desde muito pequena já devorava Machado de Assis, os livros da Editora ática na Biblioteca Pública do Paraná.

Foi minha mãe quem me ensinou a ler em Braille. Com o passar do tempo, fui descobrindo os livros em áudio e ibooks também.

Eu adoro cantar, sempre achei que seria uma grande cantora, mas chega uma hora em nossas vidas, que precisamos fazer escolhas. Eu escolhi jornalismo.

Blog café com estórias

E porque você decidiu ser jornalista Lucia, e não cantora ou outras profissões? E como você se tornou blogueira?

Lucia Mara Formighieri

Fazer jornalismo é como um sacerdócio, uma missão, ou você ama, ou não. Sempre tive uma família muito carinhosa, tenho uma irmã muito presente e os dois lados da família de italianos são grandes, o que facilitou muito em minha inclusão.

Um dia, por sugestão de uma prima, Aninha Benatti, achei na Internet uma plataforma, que auxilia jovens a empreenderem, o Congresso de Acessibilidade, da minha amiga e parceira Dolores Affonso. Foi o início do Literagindo.

Embora eu já tenha feito muitos trabalhos voluntários, como na webrádio Sons do Tempo, de Portugal, foi lendo e escrevendo que eu me achei.

 

Pergunta da escritora e capista Gisele Schiefer

Gisele é autora publicada na amazon com o romance IDENTIDADE REVELADA

 

Oi Lucia, hoje, a realidade digital está cada vez mais presente nas nossas vidas (o que deveria facilitar o acesso aos livros, conteúdo didático, e outros).

Você faz uso de audiobooks ou outras ferramentas para ter acesso à leitura? Qual a maior dificuldade neste meio digital?

Conte-nos um pouco sobre a sua experiência e nos diz o que você acha que poderia se tornar mais inclusivo nesta área.

 

Lucia Mara Formighieri

Gisele, sim, eu sempre utilizei tecnologias assistivas: audiobooks, livros em Braille, bem como ibooks pelo celular e pelo ipad. O problema é que as pessoas normalmente desconhecem estes programas, o que dificulta muito a inserção de um cidadão cego ou com baixa visão, no mercado de trabalho.

Infelizmente, ainda temos uma sociedade, que ao invés de enviar um jovem para a escola, fá-lo trabalhar. Uma cultura que precisa ser exterminada, assim como aquela, em que a pessoa com deficiência é vítima de uma doença e, consequentemente, incapaz.

Quando eu ainda procurava emprego, já ouvi muito: “Você não pode dirigir”, “Você não pode fotografar”. Acontece, que para uma jornalista determinada e perseverante, não existe “Não pode”, por isso, estou investindo no blog.

Pergunta da autora Vitoria  Almeida

Vitória é carioca, e autora da série Traficando amor, que tem um dos títulos disponível na amazon: Fora da lei.

Lucia, acho maravilhoso pessoas que se permitem ultrapassar barreiras que para outras pessoas parecem intransponíveis.

Como leitora e jornalista deficiente visual, você conhece e consegue dar nomes às dificuldades pelas quais pessoas com a mesma deficiência que você passam.

Com esta visão privilegiada, pretende fazer mais alguma coisa no ramo, como escrever o próprio livro, ou se especializar em matérias sobre o assunto?

Conte-nos mais de seus projetos futuros.

Lucia Mara Formighieri

Vitória, não gosto muito de falar sobre mim, acho que ainda não tenho o que possamos chamar de Glória Jornalística, entretanto, pretendo ainda fazer cursos para a produção de materiais acessíveis.

Eu sempre tive a sorte de contar com pessoas que: escaneavam, imprimiam e me enviavam meu material. Contudo, a maioria das pessoas cegas obriga-se a gravar as aulas, porque elas não têm este acompanhamento.

Eu compreendo que nossas escolas ainda deixam a desejar, por outro lado, precisamos acabar com a cultura da vitimização, não é porque a pessoa não enxerga, que não irá fazer nada. Acredito no poder da educação. Se eu tivesse muito dinheiro, fundaria uma ONG para apoiar quem não teve essa sorte.

 

Pergunta da autora Sara Ester

Sara é escritora de literatura hot na amazon, com muitos livros publicados entre eles, Insolente.

 

Lucia, qual a maior dificuldade que você encontra no seu dia a dia, em relação ao seu trabalho e lazer? Eu imagino que as pessoas devem fazer muito este tipo de pergunta. Mas, quando falamos sobre as dificuldades do deficiente, estamos também abrindo os olhos das pessoas para a necessidade da inclusão, que é um problema de todos.

Lucia Mara Formighieri

Sara, as dificuldades são enormes, desde o momento em que você acorda, até o momento em que você vai dormir. Acredito que a falta de informação e o preconceito da sociedade, são as maiores dificuldades entre todas as pessoas que sofrem sem um dos sentidos.

Eu sou muito criticada porque tive muitas pessoas me auxiliando, mesmo assim, você ouve: não posso dirigir, não posso fotografar, foi assim que decidi empreender, infelizmente como já mencionei, não tenho dinheiro para investir mais, contudo, acredito no poder que a educação faz.

Precisamos acabar com a cultura da vitimização e do trabalho infantil, dar oportunidades a pessoas que apenas não enxergam. Pode parecer engraçado, mas uma pessoa vidente não sabe o que deve fazer se não tiver os olhos.

Recomendo a leitura de Ensaio sobre a Cegueira, do autor José Saramago, é uma grande utopia, mas muito reflexiva. As dificuldades vão desde quando você pega o ônibus e não pode enxergar a placa, até quando você está no trabalho e ouve: “Você não enxerga, vai ficar atendendo telefone”, isso é deprimente.

Pergunta da autora Fernanda T Castro

Fernanda é autora do livro O Poder Ignorado pela amazon e Nas garras das trevas  pela editora Pendragon.

 

Lucia, o que o livro significa para você? Moramos num país onde a leitura não é valorizada e nem incentivada. E aí vemos você que com uma dificuldade natural e real de leitura, enfrenta-a e não só se torna leitora como também incentivadora da leitura.

Então, qual o significado da leitura na sua vida.

Lucia Mara Formighieri

Fernanda, posso resumir o livro para mim em uma única expressão: meu tesouro escondido. Se eu sou o que sou, devo minha vida a eles também, além da minha família. Não saio sem meus amiguinhos paginados, ou auditivos, se eu pretendo fazer cursos sobre materiais acessíveis, qualquer coisa, usarei um livro. Quem não gosta de lê, é porque não foi incentivado corretamente, ou porque não teve apoio.

Costumo brincar, que se eu fosse para uma ilha deserta, deixaria tudo, menos meus miguinhos. Paginados.

Blog café com estórias

Pois bem, estamos chegando ao fim da entrevista. Muito bom conhecer melhor a jornalista e bloqueia Lucia Mara.

Agradecemos sua participação, Lucia, no blog café com estórias.

Se quisermos saber mais sobre você, conhecer melhor os seus projetos, onde podemos encontrar estas informações?

 

Lucia Mara Formighieri

 

Quem quiser pode me enviar um e-mail: contato@literagindo.com,

Ou me encontrar no facebook: facebook.com@blogliteragindo,

Ou no twitter, @luciaformighie1,

Ou ainda acessar nosso conteúdo no blog Literagindo.com.br

 

Blog Café com estórias

Novamente, muito obrigada pela disponibilidade, Lucia.  Foi um prazer ter você aqui. Que sua luta seja cada vez mais aguerrida e sua mensagem mais ouvida.

Fique a vontade para se despedir dos leitores e das autoras participantes.

 

Lucia Mara Formighieri

Queridos, o prazer foi meu: Se eu pudesse deixar uma mensagem aos leitores seria: “Somente uma caneta, um professor e a educação podem mudar o mundo”. Esta frase é de Malála Youzaff Zai, a grande Nobel da paz, mas acreditem, um livro é capaz de mudar uma vida. Somente através da informação, poderemos evoluir.

 

Então é isto, Lucia Mara Formighieri, é editora do blog Literagindo, espaço de literatura e ação como diz o próprio slogan. Pessoas deficientes visuais ou não estão convidadas a conhecer melhor o trabalho desenvolvido por Lucia. Espero que tenham gostado da entrevista.

 

11 thoughts on “Entrevista com Lucia Mara Formighieri: jornalista, blogueira e deficiente visual

  1. Achei essa entrevista muito enriquecedora! Não conhecia a Lucia Mara e não me recordo de já ter acessado o blog dela, mas foi muito bom saber como ela consegue superar todos os dias as dificuldades da cegueira e é uma profissional realizada! Parabéns pela entrevista!

  2. Oi Meirilene, sua linda, tudo bem?
    Adorei essa entrevista e ainda mais em saber que a autora é um exemplo de que devemos lutar por nossos sonhos independentemente dos obstáculos.Gostei quando ela falou sobre a política de vitimização. Não ajudamos ninguém dessa forma. Desejo muito sucesso para ela.
    beijinhos.
    cila.

Eu adoraria saber sua opinião.