Medalha de Hypólito é melhor que de Ouro? 5 atletas ativistas contra a desigualdade social e preconceito

Dizem que através do jogo é possivel conhecer uma pessoa: Pelas atitudes, ousadias ou recuos. O certo é que através do esporte se conhece bem a desigualdade social e outros problemas de um país.

Hoje vamos ver as lutas de alguns atletas para vencer estes problemas.

 

Conheça o projeto Ler para Crescer 

O que é Projeto Ler para Crescer?

Como são as histórias Do projeto?

Qual é o Formato do livro?

Porque eu deveria participar?

 

Ser atleta já é um tipo de ativismo. Não é pouco o que se aprende com alguém que se dedica aos esportes, principalmente no Brasil:

  • Acreditar em si mesmo
  • Vencer obstáculos
  •  Aguentar a falta de patrocínio, mesmo sendo um campeão
  • Trabalhar em grupo e na diversidade

A verdade contudo, é que alguns ainda não se contentam e assumem outras causas. Usam a visibilidade  que tem pra mostrar os problemas da sociedade.

Sim, medalha de Hypólito é melhor que medalha de ouro

Eu estava com minha filha assistindo aos jogos da Olimpíadas. O atleta era Diego Hipólito. Minha filha ainda era pequena e eu a incentivando a torcer, dizia.

– Vem Livia, vamos torcer pelo Hypólito. Vamos!

Repeti frases como esta muitas vezes e ela estava lá pulando e gritando :

– Hypólito, Hypólito, Hypóli…

De repente, ela parou e me perguntou:

– Mamãe, medalha de Hypólito é melhor que medalha de ouro?

Mais que uma pérgunta, eu vi naquela questão um motivo de reflexão.

Às vezes a luta do atleta por questões que não são só dele, é tão grande que a sua determinação e generosidade por outros se tornam mais emblemáticos que a própria medalha.

Diego quando pode mostra as injustiças sofrida pela sua homossexualidade, a falta de patrocínio e tantas outras dificuldades que são impostas a alguém que só quer mostrar a beleza do brasil.

 

Judoca Rafaela Silva

Rafaela Silva é negra, pobre e veio das favelas do Rio de janeiro. Com uma trajetória de sucesso no Judô, mostra como o esporte pode direcionar a pessoa.

Sim, porque ela foi levada ao judô pela sua indisciplina e brigas na rua. Olha no que deu: Campeã.

Em 2012 sofreu duros ataques racistas por conta da sua derrota nas Olimpíadas de Londres.

Em 2016 foi campeã no Rio.

Usou a música da Ludimila, Rap da Felicidade para dizer que o que ela e as pessoas que moravam nas favelas queriam, era simples:

Eu só quero é ser feliz, andar tranquilamente …

Rafaela nunca teve dúvida de seu papel como influenciadora para combater a desigualdade social e preconceito que sempre marcou a sua vida:
 
“Posso servir de exemplo para as crianças da comunidade porque, só de você ser negra, já é malvista na rua”.

A Rainha, artilheira e melhor do mundo: Marta

Para a Marta não é preciso palavras. Penso que todos sabem da guerreira que é esta mulher em campo e na vida.

De Dois Riachos, Alagoas para o mundo.

Ela que foi eleita melhor jogadora do mundo por seis vezes e artilheira de todas as copas, masculina e feminina com 17 gols.

Sempre aproveitou o microfone que lhe davam para questionar

  • o espaço que é negado às mulheres,
  • injustiças no futebol feminino e
  • desigualdade social que ela conhece bem

Daniel Meyer, triatleta vegano

Daniel Meyer é triatleta e ultramaratonista.  “Sou vegano, porque minha consciência não me permite viver de outro modo”.

Usa a sua condição de atleta para levantar bandeiras do veganismo: cuidado com os animais, meio ambiente e com a própria saúde.

Segundo ele, ser vegano não o limita como atleta. Pelo contrário. Ele atribui sua disposição justamente ao cuidado que tem com a alimentação. 

Ele é o criador do Força Vegana que é um movimento que visa divulgar o movimento vegano pelo esporte.

Em 2016, Daniel Meyer teve um desentendimento com o grupo e se desligou, mas o seu legado continua. 

Amy Purdy – Snowboard ou Surfe na neve

 

Amy Purdy, é americana e campeã de snowboard.

” A amputação de minhas pernas nao pode limitar minha vida.”

Uma meningite aos 19 anos mudou a vida desta mulher que nasceu sem nenhuma deficiência física.

Os médicos precisaram amputar suas pernas do joelho para baixo.

Não foi só, devido a uma infecção grave bacteriana também ficou surda do ouvido esquerdo e perdeu um de seus rins.

Desde o início ela tentou procurar alguma vantagem naquela tragédia. E acreditem, ela achou:

  • Posso ter a altura que eu quiser agora;
  • Quando for esquiar não vou sentir frio nas pontas dos pés
  • Posso decidir o tamanho do meu sapato.

 Amy é atleta, ativista, modelo, atriz, e dançarina: um exemplo para tanta gente que passa por problemas parecidos.

 

Estes são apenas alguns atletas, mas temos muitos outros, como por exemplo todos os atletas paralímpicos, verdadeiros heróis.

Te convido a pesquisar e conhecer alguns destes homens e mulheres que nos mostram que podemos vencer aquele obstáculo que parece fazer parar a nossa vida.

É isto. O esporte é também uma plataforma de luta contra desigualdade social e preconceitos. Mais uma que devemos aos nossos atletas.

Se você quiser receber mais conteúdos como este em seu e-mail, assine nossa lista.

8 thoughts on “Medalha de Hypólito é melhor que de Ouro? 5 atletas ativistas contra a desigualdade social e preconceito

  1. Realmente, os atletas possuem grande contribuição na luta contra desigualdades e na denúncia de problemas que assolam a sociedade, mas que parecem invisíveis à maioria. De todos que citou, sou grande fã da Marta, uma pessoa de garra e coragem que expõem toda a força da mulher!

    Abraços!

  2. oi!
    Sempre torci para o Diego Hipólito e sua irmã 😀 os atletas devem sempre entrar em campanhas em prol da igualdade..

    1. O esporte vem ajudando nessa luta contra o preconceito e desigualdade através da força e garra dos nossos atletas. Marta e Diego Hipólito são pra mim e pro Brasil um grande exemplo .

  3. Sou fã dos irmãos Hipólito, eles representam o nosso país nas competições no mundo todo, ainda bem que o esporte mostra-se contra o preconceito e discriminação hoje em dia, é um grande suporte para todos.

  4. Grandes esportistas também são grandes vitrines e exemplos. Usar isto para ensinar a respeitar o próximo e a lutar de forma limpa pelo que se quer é muito importante para as crianças.

  5. parabéns, gostei muito destas historia de pessoas que lutam pela desigualdade e ainda fique a conhecer atletas que para mim até ao momento eram desconhecidas

  6. Que post super enriquecedor. Devemos muito a esses atletas que tem lutado contra a desigualdade e estao dando muito exemplo de perseverança.

Eu adoraria saber sua opinião.