Socorro, Meu Filho Come Mal!

Olá. Este é o terceiro capítulo da história infantil sobre alimentação saudável, A Batalha Na Casa De Pedrinho e agora vamos conhecer Dona Filó que tem uma enorme batalha pela frente, fazer Pedrinho melhorar sua alimentação. O título deste capítulo é Socorro, meu filho come mal!

os vegetais
Seria uma conspiração dos legumes e verduras? Cadê as frutas?

E você, o que acha de assumir um projeto alimentação saudável na educação infantil, seja de seus filhos, de seus alunos ou mesmo de vizinhos ou amigos. Que tal? História infantil sobre alimentação saudável é como brincadeira, você acha que está se divertindo, mas está mesmo é apreendendo uma porção de lições interessantes com personagens que você gosta, que no caso deste livro são os próprios vegetais.  Vamos lá?

a batalha na casa de Pedrinho
A batalha na casa de Pedrinho – capa

Capítulo 3

Socorro, meu filho come mal!

Dona Filó amarrou o avental na cintura, prendeu os cabelos e foi para a cozinha preparar o almoço. Pegou um rabanete em cima da mesa ao lado da invenção científica de seu marido e parou por um tempo em silencio e olhando para o vegetal. Saiu balançando a cabeça em sinal negativo e resmungando.

-De repente tudo aqui resolveu ficar fora do lugar! Tem vegetal por toda a casa, este já é o terceiro que encontro só hoje. Quem será o culpado por esta bagunça?

o brocolis
Brócolis – para uma alimentação saudável

Colocou o rabanete de volta na fruteira e parou diante da geladeira. O cardápio do dia estava lá nos papeis coloridos pregados com ima. Desde que Lorentina decidiu se mudar de cidade de hora pra outra, deixando o trabalho de quinze anos e a cozinha da casa totalmente desprovida de alguém que soubesse fritar um ovo que fosse, Filó se prometeu que nunca mais ficaria tão dependente de alguém e decidiu ela mesma preparar as refeições de sua família.

Ela contudo não tinha noção que aqueles almoços, jantares e lanches servidos na hora certa durante aqueles quinze anos que Lorentina passou na sua casa, fossem tão trabalhosos.

Desde que assumiu esta empreitada, todas as manhãs quando acordava pensava no cardápio do dia, na batalha que seria preparar uma comida que alguém conseguisse comer e prometia para si mesma que não desistiria daquele propósito.

reunião dos vegetais
a reunião na casa de Pedrinho

O marido insistia para que ela chamasse outra pessoa para cuidar das refeições, mesmo repetindo a todo tempo que o dinheiro do salário de Lorentina estava tirando as finanças do sufoco. Filó sabia bem que apesar dele não reclamar sentia saudades do tempero da Lorentina assim como ela e Pedrinho.

O menino que sempre deu trabalho para comer, agora estava bem pior. Este talvez fosse o maior desafio, fazer uma comida que atraísse seus olhos, porque nos últimos tempos ele sequer olhava para o prato. Ela já tinha brigado, conversado, falado com o pai, prometido presente, até simpatia tentou por orientação de uma vizinha, mas a comida continuava invisível para seu filho.

Arroz, feijão, filé de peixe

Brócolis em formato de pequenas árvores

Cenoura em formato de barbante

Chuchu em formato de estrela

Couve em formato de algas marinhas

Limão em formato de sol

Filó foi diminuindo aos poucos a velocidade da leitura como se detectasse algo de errado naquele cardápio. Parou de repente de ler e correu para a estante, pegou o caderno Os segredos de Lorentina e procurou a pagina de onde havia copiado cada vírgula daquela receita.

 Depois de cozinhar o brócolis, separe pequenos galhinhos deixando-o em formato de pequenas árvores.

Com o cortador especial número três que está na gaveta do meio do armário da cozinha corte a beterraba em formato de pequenas bolinhas parecendo mini maças.

Novamente Filó parou a leitura repentinamente e ficou a olhar na direção da cozinha tentando compreender o que acabara de ler.

– Eu usei estas receitas semana passada e seria capaz de jurar que não tinha estes detalhes. Cenoura em formato de barbante, limão em formato de sol e beterraba feito mini maçãs…?

 

Ela colocou as duas mãos no rosto como se segurasse a cabeça e ficou assim por alguns segundos. O relógio apitou e ela se estremeceu despertando de seus pensamentos. Olhou novamente para o caderno, pegou-o e saiu correndo para a cozinha.

a beringela
Você conhece a beringela?

Abriu a segunda gaveta do armário e lá estava num dos muitos compartimentos, o cortador especial número três. Olhara várias vezes para aquela gaveta, mas não fazia ideia para que serviam aquelas peças pequenas e diferentes, mas agora tinha descoberto.

O relógio despertou novamente e ela fechou a gaveta, abriu o livro e começou a separar os ingredientes para o almoço.

a banana
Olha a banana!

Que loucura! Estes vegetais estão enlouquecendo Dona Filó!

E você? Que tal este capítulo? Gostou? Deixe um recadinho.

Related posts:

Meu nome é Meirilene Reis. Sou leitora desde os dez anos de idade, quando descobri em ” a marca de uma lágrima” livro de Pedro bandeira, de meu mundo acinzentado uma janela para um mundo colorido, vibrante e cheio de possibilidades. E escritora desde que descobri nas estórias uma forma de expressão, de comunicar o que não conseguia fazer de outra forma. E esta experiência estreita com os livros tem me mostrado que não há limites, para a imaginação nem do leitor nem do escritor, e isto me fascina. A literatura é pra mim um ponto, um eixo, onde em algum momento os mundos das pessoas se encontram, porque ali, tanto na leitura, quanto na escrita, nos despimos de preconceitos, e nos permitimos vivenciar a vida do personagem, que de alguma forma se encontra com a nossa.

Eu adoraria saber sua opinião.