Pequeno Leitor – Dicas para introduzir a leitura na vida das crianças

A formação de uma criança leitora começa com a formação de pais leitores.

pequenos leitores 4

Incentivar uma criança á leitura tem que ser um ato prazeroso e de persistência, caso contrário nem o incentivador terá forças e nem a criança paciência.

Transformar uma criança em um leitor não é tarefa fácil, além de exigir muita criatividade, é um trabalho de longo prazo.

Não que a criança não se interesse pela leitura, pelo contrário, na infância somos apaixonados por estórias, com o decorrer do tempo perdemos este interesse ou o focamos em outros tipos de mídias, como televisão, cinema, e muitas vezes o livro fica de lado.

Mas apesar de todo este interesse pela estória, a criança é dinâmica e precisa de interação, o que exige dos pais um esforço contínuo.

Incentivar uma criança à leitura tem que ser um ato prazeroso e de persistência.

Mas é uma tarefa possível e pode ser, aliás, deve ser divertida. Basta mostrar um livro a uma criança ou sentar-se com ela pra ler estórias que seus olhos já brilham.

Contudo, este é um interesse que precisa ser alimentado diariamente. E como diz o ditado: Exemplos falam mais que mil palavras.

Não adianta querer que a criança seja leitora, se ela não vê exemplos. E o gosto pela leitura começa normalmente ouvindo-se estórias. Assim não há outro caminho. Quer uma criança leitora, comece a gostar dos livros.

Se você quer dicas para iniciar uma vida de leitura, leia:

Como Se Tornar Leitor – Guia para Iniciantes

pequenos leitores3

 

Como eu já disse, (aliás umas cem vezes aqui no blog) a leitura é pra mim um dos atos mais prazerosos, e com toda a minha rotina e paixão pela leitura foi natural transformar minha filha em leitora.

De repente você esteja se perguntando. O que a autorizou a estar aqui dando dicas de leitura?

Por isto vou contar um pouco minha estória.

Eu nasci no interior de Minas Gerais, onde morei parte da minha infância.

Minha família não era uma família de leitores e eu estudava numa escola de interior onde não havia biblioteca.

Mais ou menos aos oito anos, um professor pediu que lêssemos um livro paradidático, a marca de uma lágrima, de Pedro Bandeira (um livro premiadíssimo).

E foi este livro que marcou minha vida em antes e depois.

Comecei a ler a história e aquilo era tão mágico pra mim, era quase irreal. Eu não ouvia Isabel, eu era ela, ou era alguém sentada ali num banquinho assistindo-a enquanto ela quebrava e brigava com o espelho. Naquele momento ela era minha melhor amiga, eu a compreendia e ela me compreendia.

Eu descobri em “a marca de uma lágrima” de meu mundo acinzentado uma janela para um mundo colorido, vibrante e cheio de possibilidades. Sim, eu estava ali sem televisão, sem muita gente ao redor, sem muita opção de diversão, mas eu podia ir para onde eu quisesse.

Foi aí que eu descobri que através dos livros eu poderia ampliar minha  realidade de criança do interior.

A partir daí eu me tornei leitora voraz, devorava tudo que encontrava pela frente. E vieram inúmeros de outros livros.

Mais tarde veio minha filha e era hora de passar pra ela aquela experiência que coloria minha vida. E penso que consegui, ela é apaixonada por estórias e aos oito anos já lê livros de trezentas páginas.

Aliás acredito que comecei da melhor forma, quando ela ainda estava na minha barriga. Eu passava horas lendo ou contando estórias.

Quanto mais cedo o contato com a leitura, melhor!

E quando ela nasceu, este processo continuou, e ela sempre ficava calma quando me ouvia.

Em seguida comecei a colocar os livros em suas mãos. Resultado: várias folhas rasgadas. Rsss.

Ouvir história infantil para dormir se tornou um vício. E o meu repertório já estava acabando, foi aí que comecei a criar minhas próprias histórias. Usava-ás para passar valores, para me comunicar melhor com ela, pra ajudá-la a vencer algum medo.

Aproveite a paixão que normalmente as crianças tem por histórias.

pequenos leitores1

E ela gostava tanto, que queria só estórias exclusivas. E eu tinha que me virar para criar estórias e mais estórias pra ela. Mas eu amava.

Criava, encenava, usava fantoches, era uma verdadeira festa.

É incrível como uma criança se sente bem com um personagem. Comecei a perceber que quando dialogava com ela usando um personagem, ela se comunicava muito melhor.

Use e abuse da criatividade: fantoches, encenações, contação de histórias

E o processo continuou. Os primeiros livros cheios de figuras, aos poucos as letras substituindo os desenhos, a quantidade de páginas aumentando, as letras diminuindo de tamanho…

dicas-para-leitor

Um processo delicioso de se ver e participar.

O Livro de 9,99

A poucos dias ela foi à feira do livro com a escola e queria dinheiro para comprar um livro.

“Imagine se ela vai ao shopping com os coleguinhas  e vai comprar um livro, sendo que ela já tem tantos. Ela vai gastar o dinheiro com doces e outras guloseimas” Pensei.

– Mamãe, onze reais não dá pra comprar livros.

Respondi que dava e fui trabalhar. Passei todo o dia com a consciência pesada de ter deixado tão pouco dinheiro para o livro.

A tarde quando cheguei ela estava toda feliz e com um livro de quase 300 páginas.

A empolgação era imensa, afinal eram muitas novidades naquele passeio sem a mãe.

E entre as novidades, o livro. Quis saber como ela escolheu.

-Eu disse pra tia da feira se ela tinha um livro 11 reais. E ela me disse que tinha alguns de 9,99. Olhei todos e escolhi este. E já li algumas páginas no ônibus e achei ótimo.

damcgutm

O livro era Arquivos Geniais – Missão Implacável de Dan Gutman. Um livro fantástico.

Resultado, nos revezamos na leitura. E ela toda metida:

-Eu não preciso mais de ajuda, escolho sozinha os livros pra eu ler, porque eu sou muito boa nisto.

E vai uma dica: Dan Gutman é um autor que pode ser lido por toda a família.

E você, tem uma história de leitura com suas crianças? Conte-nos. Mas se você ainda não os incentiva na leitura, comece. É uma aventura e tanto.

Related posts:

Meu nome é Meirilene Reis. Sou leitora desde os dez anos de idade, quando descobri em ” a marca de uma lágrima” livro de Pedro bandeira, de meu mundo acinzentado uma janela para um mundo colorido, vibrante e cheio de possibilidades. E escritora desde que descobri nas estórias uma forma de expressão, de comunicar o que não conseguia fazer de outra forma. E esta experiência estreita com os livros tem me mostrado que não há limites, para a imaginação nem do leitor nem do escritor, e isto me fascina. A literatura é pra mim um ponto, um eixo, onde em algum momento os mundos das pessoas se encontram, porque ali, tanto na leitura, quanto na escrita, nos despimos de preconceitos, e nos permitimos vivenciar a vida do personagem, que de alguma forma se encontra com a nossa.

4 thoughts on “Pequeno Leitor – Dicas para introduzir a leitura na vida das crianças

    1. Que bom que você gostou Camila e obrigada por participar. Incentivar criança a ler é mais fácil que incentivar um adulto. Crianças amam histórias e isto deixa tudo muito mais fácil. Com um pouquinho de paciência e persistência, a leitura entra pra rotina dos pequenos, e o mais legal se torna um momento de muito prazer. Abraços e volte sempre.

Eu adoraria saber sua opinião.