Insegurança

insegurança

Viver é aprender

Mais sabe quem sabe que nada sabe.

As certezas de ontem já não existem mais

As atitudes passadas já não se encaixam no agora

Os amigos de ontem podem não sê-lo mais

Sinto como que solta num redemoinho

Quero certezas

Quero apoiar-me

Quero orientar-me

Onde?

Como?

Em quê?

Se ninguém tem uma verdade que dure?

Vida, vida vida!

A quem diga que sua beleza está no risco

E talvez eu a busque assim, nas minhas falsas seguranças.

Hoje sou só insegurança.

 

Related posts:

Meu nome é Meirilene Reis. Sou leitora desde os dez anos de idade, quando descobri em ” a marca de uma lágrima” livro de Pedro bandeira, de meu mundo acinzentado uma janela para um mundo colorido, vibrante e cheio de possibilidades. E escritora desde que descobri nas estórias uma forma de expressão, de comunicar o que não conseguia fazer de outra forma. E esta experiência estreita com os livros tem me mostrado que não há limites, para a imaginação nem do leitor nem do escritor, e isto me fascina. A literatura é pra mim um ponto, um eixo, onde em algum momento os mundos das pessoas se encontram, porque ali, tanto na leitura, quanto na escrita, nos despimos de preconceitos, e nos permitimos vivenciar a vida do personagem, que de alguma forma se encontra com a nossa.

2 thoughts on “Insegurança

Eu adoraria saber sua opinião.